domingo, 16 de janeiro de 2011

10 mil visitas depois.

"De tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a rir-se da honra, desanimar-se de justiça e ter vergonha de ser honesto”
Ruy Barbosa de Oliveira

dialecticadaformiga.blogspot.com

A fazer quase um ano desde o seu nascimento e após mais de 10 mil visitas, a "redacção" da DdF vem desta forma agradecer a todos aqueles que nos visitaram e aos que apesar de não o fazerem, ajudam na promoção do blog. Só graças a eles foi possível atingir esta meta.

Ao navegar por estas páginas,  faço uma viagem pelo meu estado de espírito dos últimos meses, o que é sempre uma experiência interessante.

Outra das experiências que este projecto me tem proporcionado é a responsabilidade da actualização. Inicialmente quando acabava de publicar um post, sentia que a minha criatividade e motivo para continuar a postar tinha terminado ali. O que criava em mim ansiedade e necessidade de procurar outras razões. Hoje não é tanto assim porque a pressão não me afecta da mesma forma.

A determinada altura a "linha editorial" assumiu uma componente política de forma vincada e directa, assunto que infelizmente interessa cada vez menos à sociedade e também por isso sinto algum orgulho neste trabalho, quando vejo o número de visitas a subir semanalmente.

O homem não é o que diz ser mas sim resultado das suas acções, não sou dúbio, assumo o meu lado e no dia que tiver de reconhecer que errei também aí o espero saber fazer.

Sem duvida que a minha militância activa no PS e a dinâmica que o partido vive na actualidade, moldam a minha actuação neste espaço. Mas faço-o de forma tranquila, consciente e descomplexada pois há muito que me situei!

Os últimos anos ensinaram-me, que são poucos os que fazem as lutas, mas são muitos os que de vitórias se guiam.

Decidi "abrandar o ritmo", não porque me ofereceram um qualquer lugar, mas porque há momentos em que devemos ouvir mais do que falamos.

Os tempos que se avizinham não serão fáceis, na minha perspectiva, por culpa da mediocridade dos políticos que governam este país, mas também por responsabilidade de uma maioria que deixa na mão destes a gestão dos seus destinos.

Numa terra em que quase tudo está mal (não deve haver neste país, um concelho que sirva melhor de exemplo para o que se passa a nível nacional), poucas são as vozes dissonantes, o que me deixa triste e desanimado.

Envolvam-se, participem e deixem de optar pelo menos mau, façam parte de uma alternativa. Enxotando para fora a escumalha que representa os grande interesses neste país. Unam-se e lutem pela prosperidade de um todo e não por uma solução imediata e sem sustentabilidade.

Até já!

3 comentários:

Carlos Fidalgo disse...

Também já passei por essa fase, não sei se passarei novamente. Como dizes, com toda a razão, de tanto falar ao vento a nossa voz, neste caso as nossas palavras vão-se esfumando no meio de tanta mediocridade.
Mas reconsidera e não deixes que as tuas reflexões sempre tão pertinentes se deixem abafar por momentos menos bons e/ou fases de reflexão sobre a nossa forma de estar na sociedade.
Como disse já o fiz até acabei com o meu anterior Blog, mas penso que iremos ter, muito em breve, o prazer de ler as tuas reflexões que, pessoalmente, aprecio.
Um abraço e até já.
Carlos Fidalgo

Cigarra disse...

São estas mesma fases que nos tornam mais fortes.

Estou para ficar!

Abraço

Carlos Filipe disse...

@Cigarra

"... si usted es capaz de temblar de indignación cada vez que se comete una injusticia en el mundo, somos compañeros, que es lo más importante." (Che Guevara - La Habana, Febrero 20 de 1964)

Abraço